Veja como foi a 4ª Festa Da Semente Crioula na ABAI

2016-09-05 5 Comentários ADM ABAI

A 4ª Festa da Semente crioula realizada em Mandirituba, na sede da ABAI, no dia 28 de agosto de 2016 ficou marcada pelo número significativo de pessoas que participaram, aproximadamente 900, e pela união e diversidade dos povos e entidades: quilombolas, indígenas, hippies, faxinalenses, pequenos agricultores, sem terra, técnicos, consumidores, poetas e artistas que fazem da agroecologia sua opção de vida, renovando mais uma vez o compromisso de defender as sementes nativas como bem sagrado da humanidade. 

A Festa teve como tema: "Semente Crioula Ameaçada - Soberania roubada!". Dentre as sementes ameaçadas, o milho, um dos alimentos principais das populações teve prioridade na reflexão profunda feita pelo companheiro Hans, Coordenador da Casa da Semente e do Projeto sementes da AOPA, devido a grande problemática enfrentada com a contaminação por transgênicos promovida por grandes empresas transnacionais, agravada com a polinização natural.

A participação de 03 aldeias indígenas do Norte do Paraná chamou a atenção pela resistência e pela importância da semente para o futuro do planeta.
As crianças mais uma vez impressionaram com seu gesto simples e alegre na defesa das sementes, elas que são sementes do futuro da sociedade dizendo um não as atitudes de morte das multinacionais.
Os guardiões de sementes encantaram a todos e a todas que participaram da festa, com seus saberes e sua persistência na defesa das sementes. A troca de sementes foi feita durante todo tempo da festa, manifestando o interesse dos camponeses e dos consumidores pelo mutirão de luta pela vida que caminhou nas terras do Paraná nos meses de julho e agosto, em outras festas, feiras e jornadas agroecológicas, ecoando um só grito: "Semente, fora do mercado, semente, é um bem sagrado."

Juvenal Rocha - Coordenador da ABAI

VER MAIS NOTÍCIAS